Analisador de Ponto de Goma

folder_openBlog

Por Henrique Ricci

Os combustíveis de boa qualidade possuem características químicas que permitem que sejam utilizados pelos motores fornecendo potência suficiente sem danificá-los.

Para atingir um bom desempenho, algumas das características esperadas da gasolina são:

  • Boas características antidetonantes, com alta potência e baixo consumo;
  • Ausência de compostos corrosivos de enxofre;
  • Baixa tendência em causar entupimento;
  • Ausência de resíduos sólidos insolúveis (goma)
  • Alta octanagem

Até ser utilizada pelos veículos, a gasolina é armazenada e a qualidade da gasolina tende a decair durante o período em que é estocada, de forma mais rápida ou mais lenta dependendo das condições locais. Essa perda de qualidade é resultado da degradação natural, seja por oxidação a partir do contato com o ar, por influência da temperatura ou por presença de luz.

O principal produto dessa oxidação é a goma, uma espécie de resíduo sólido que em condições normais se encontra dissolvido no combustível. Após a evaporação dos compostos voláteis presentes na gasolina, a goma permanece aderida nas superfícies do sistema do motor.

A grande quantidade dos depósitos de resíduos de combustível afetam trocar por vida útil dos motores e seu desempenho. Para prevenir a formação de goma, a indústria adiciona substâncias aditivas que proporcionam condições antioxidantes, antidetonantes, atuando como detergentes, lubrificantes, dentre outras funções.

Em relação aos sistemas de injeção de combustível em especial, existe uma correlação direta com a maior quantidade de goma disponível e a probabilidade de entupimento do equipamento. Os sistemas de injeção são equipamentos precisos e sensíveis, responsáveis por pulverizar de maneira controlada o combustível para dentro da câmara de combustão. Essa precisão é importante para que o motor não “engasgue” e para que não haja emissão de gases poluentes em excesso. A presença de goma no motor frequentemente atinge o sistema de injeção, afetando sua funcionalidade.

Como ação de prevenção, para garantir a qualidade dos combustíveis e monitorar a perda da qualidade durante longos períodos de estocagem e exposição aos agentes de degradação, é importante o acompanhamento por meio de testagens e equipamentos de qualidade.

Os principais métodos para a determinação do teor de goma em combustíveis são executados por meio do jato de evaporação, e são descritos por diversas normas como, por exemplo, a norma ASTM D381 – ‘Método de teste padrão para teor de goma em combustíveis por jato de evaporação’.

O procedimento do teste por jato de evaporação coloca uma determinada quantidade de combustível para que seja evaporada em condições de temperatura controlada sob a influência de um fluxo constante de ar quente ou vapor, a depender da amostra. Alguns métodos requerem exclusivamente o uso de vapor como meio de evaporação para combustíveis de turbina de aviação, outros aceitam também ar. Já para testar gasolina de motor automotivo, o ar é em geral requerido.

O recipiente contendo a amostra é pesado antes e depois da evaporação para determinar o peso do conteúdo de goma, que é então anotado. Uma vez que é comum que a gasolina automotiva tenha sofrido a adição de substâncias para melhorar sua qualidade, é necessário um tratamento adicional em que o resíduo seja lavado com heptano após a evaporação, para remover quaisquer aditivos com os quais a gasolina foi inicialmente misturada. Neste caso, o recipiente que contém o resíduo é pesado antes e depois da lavagem.

O Analisador LAC D-381, produzido pela Láctea Científica, serve ao propósito de assegurar a qualidade do combustível e por consequência a preservação do funcionamento dos motores, principalmente o sistema de injeção que é sensível às impurezas.

Capaz de realizar até cinco testes simultaneamente é voltado principalmente à análise de gasolina automotiva, gasolina de aviação e querosene de aviação. É configurado e preparado para o uso imediato, capaz de detectar contaminantes resíduos da oxidação dos combustíveis a partir do método de determinação do teor de goma. É capaz inclusive de realizar testes em combustíveis contendo álcool, éter e demais aditivos.

Possui controle de temperatura com alta precisão, com interface digital de fácil manuseio pelo usuário e resistências distribuídas proporcionalmente que mantém a homogeneidade em todo o bloco do equipamento. Conta com isolamento térmico nas extremidades e nas válvulas mecânicas que controlam o fluxo de vapor, para evitar queimaduras nos operadores. Atende às normas ASTM D 381 e ABNT NBR 14525.

Entre em contato para saber mais sobre o Analisador LAC D-381

Tags:
Menu
Fale com a gente
1
Como posso te ajudar?
Bem-vindo à Láctea Científica
Como podemos te ajudar?