O controle da viscosidade na indústria de cosmético

folder_openBlog

A viscosidade é a propriedade do líquido escorrer, deslizar ou fluir sobre uma superfície. Quanto maior a viscosidade de um líquido mais difícil dele se movimentar, ele tem um aspecto mais grosso.

Fica fácil visualizar isso se compararmos o mel e a água, se colocarmos água numa colher e despejarmos, virando a colher para baixo, a água cairá instantaneamente. Se fizermos o mesmo experimento aplicando o mesmo grau de força numa colher com mel, reparamos que o líquido demora muito mais tempo para cair da colher.

Entender essa propriedade é importante para indústria de cosméticos, já que essa capacidade está totalmente voltada a aplicação de muitos de seus produtos. A viscosidade tem que estar em um nível ideal, pois sendo muito baixa o líquido escorre rapidamente pela pele, e se ela estiver muito alta será difícil espalhar o produto no corpo. Além de que um produto pouco viscoso passa um aspecto de ‘’aguado’’, de baixa qualidade. Por esse aspecto, mesmo que quimicamente o produto seja incrível, ele pode não passar essa impressão aos consumidores.

Uma análise da viscosidade pode ser feita antes de se começar a produção do produto, pois podemos fazer uma análise de viscosidade na matéria prima, a fim de verificar sua qualidade.

Além disso controlar a viscosidade impacta na velocidade de produção, já que um material menos viscoso flui mais rápido pelos tubos das máquinas, e um líquido muito viscoso pode entupir, paralisando assim a produção. E isso pode estar presente a qualquer momento que se adiciona um ingrediente a fórmula, como também, no envasamento do produto final.

Se atente ao fato de que a viscosidade altera de acordo com a temperatura. A atenção a esse dado deve ser dada a todo instante, desde o armazenamento das matérias primas, nas etapas de produção, armazenamento do produto final e transporte.

Para analisar a viscosidade a Láctea Científica traz ao Brasil inúmeros viscosímetros de alta qualidade da empresa norte americana Cannon, destaque para o CAV 4.2. Por outro lado, podemos estudar outras propriedades de espalhamento e molhabilidade através dos produtos da Kruss, que medem a tensão superficial, como por exemplo o DSA100.

Com os produtos da Cannon e da Kruss conseguimos ter um controle de qualidade daquilo que será produzido ou analisado. E no mercado atual ter um investimento voltado para o controle de qualidade já é algo rotineiro, porém, isso tende a ser visto com mais atenção. A exigência cada vez maior do consumidor, por produtos de qualidade e a alta concorrência, fazem com que passemos a dar mais atenção e mais investimentos neste setor.

Assista os vídeos a seguir para mais informações sobre o CAV 4.2 e o DSA100.

Tags:
Menu