Quando se fala em Controle de Qualidade em uma empresa de cosméticos, a primeira coisa que pensamos é no controle da qualidade do produto e das matérias-primas que o compõem. Porém, muitas vezes o controle de qualidade da embalagem é deixado por último.

Isso acontece, pois obrigatoriamente o fabricante ou o distribuidor da matéria-prima entrega o lote acompanhado de seu respectivo laudo de análise, o que não acontece com todos os fabricantes ou distribuidores de embalagens.

O Controle de Qualidade de Embalagem é o departamento responsável pela inspeção ou auditoria dos lotes no recebimento ou no próprio fornecedor. Quem faz esse controle são os técnicos contratados ou formados dentro da própria empresa. O controle deve ser feito obedecendo-se às normas, padrões e procedimentos, devidamente acordados com os respectivos fornecedores.

Por definição, embalagem é tudo que serve para acondicionar, proteger, informar, vedar e facilitar o uso. Elas podem ser classificadas por famílias da seguinte forma: plásticos (frascos, potes, bisnagas, tampas, rótulos, etiquetas, cartuchos, estojos, etc), vidros (frascos, potes, flaconetes, etc), papéis (cartuchos, bulas, rótulos, etiquetas, bulas, folhetos etc.), metais (bandejas, tampas, anéis, etc), válvulas (dosadoras, spray, etc) e diversas (nécessaires, enfeites, esponjas ou tudo que não se encaixa nas famílias
citadas).

Consideramos o controle de qualidade das embalagens uma etapa fundamental para as indústrias cosméticas. Por esse motivo, a Láctea Científica fornece diversos equipamentos tanto para controle de qualidade das embalagens quanto para controle dos próprios produtos.