As medições volumétricas são fundamentais para o dia a dia de um laboratório. O grau de exatidão necessário para a medição é determinado pela metodologia utilizada ou pelo próprio usuário, que deverá escolher o instrumento volumétrico mais apropriado para o processo.

Entre os instrumentos volumétrico que podemos encontrar em um laboratório estão os balões volumétricos, provetas, pipetas graduadas, buretas entre outros, podendo ser fabricados em vidro ou plástico.

No texto de hoje iremos te ajudar a entender as diferenças existentes entre as pipetas volumétricas.

A pipeta volumétrica é o aparelho que proporciona o transporte de uma determinada quantidade de volume. Ela é constituída por um bulbo cilíndrico que contém um tubo em cada extremidade, e na parte superior do tubo fica gravada a marca do volume.

 

O que significam os traços que ficam na pipeta e onde podemos encontrá-los?

As pipetas podem conter um traço, denominadas pipetas volumétricas de esgotamento total ou pipetas de sopro, ou dois traços, denominadas pipetas de esgotamento parcial, que ficam ao longo dos tubos estreitos. Quando ela possui apenas um traço, ele ficará posicionado no tubo estreito superior. Já quando a pipeta possui dois traços, um ficará no tubo estreito superior e o outo no tubo estreito inferior.

É importante que os traços citados acima não sejam confundidos com os traços coloridos que ficam no topo da pipeta.

Esperamos que você tenha gostado do conteúdo e que o mesmo tenha sido útil. Para conferir mais conteúdos como este, acompanhe nosso blog!